História de Nova York

História de Nova York

Conheça a fundação de Nova York e como se transformou em um dos principais centros financeiros do mundo e a cidade mais povoada dos Estados Unidos.

O primeiro explorador a avistar a ilha de Manhattan em 1524 foi o navegador Giovanni da Varrazzano a serviço da coroa francesa. A região, à qual denominou Nova Angoulême, estava habitada por indígenas algonquinos e iroqueses.

A chegada dos holandeses

O segundo em explorar a baía foi o britânico Hudson em 1609, a serviço da Holanda, e que deu seu nome ao rio.

Os holandeses foram os primeiros europeus a se instalar na região e em 1614 construíram o Forte Manhattan.

Em 1626, Peter Minuit, governador da companhia holandesa das Índias ocidentais, comprou a Ilha de Manhattan dos indígenas por 24 dólares e criou uma colônia, à qual deu o nome de Nova Amsterdam. A colônia se especializou no comércio de peles com os índios.

Em 1674, pelo tratado de Westminster, passou dos holandeses aos ingleses que a rebatizaram com o nome de Nova York em homenagem ao Duque de York. Com as colônias vizinhas, os ingleses formaram a Nova Inglaterra.

Com os ingleses, Nova York ganhou importância e prosperidade como porto comercial e em 1754 se fundou a Universidade de Columbia.

Nova York como conflito

Ao longo do século XVIII, os colonos ingleses entraram em conflito em diversas ocasiões com os franceses pelo controle de Manhattan, guerras nas quais os colonos conseguiram envolver as tribos indígenas em sua causa.

Nova York desempenhou um importante papel na Guerra da Independência dos Estados Unidos, sendo cenário de várias batalhas. Em 1775, os revolucionários se opuseram aos leais à Inglaterra e aprovaram a independência no ano seguinte.

No entanto, o estado de Nova York não ratificou a constituição federal até 1788.

Finalizada a disputa, se reuniu em Nova York o Congresso que nomeou George Washington como presidente em 1789, e foi a capital federal durante um ano até ser transferida para Washington D.C.

Na década de 1829, Nova York se converteu no centro do ativismo abolicionista do Norte. Em 1863, durante a guerra civil americana, Nova York viveu uma insurreição civil com manifestações muito violentas contra o alistamento forçado, conhecida como os dias de “draft week”.

A imigração e o desenvolvimento transformaram a cidade, e em 1835 Nova York se tornou a maior cidade dos Estados Unidos.

Até 1898 a cidade era formada unicamente por Manhattan, região à qual se uniram os distritos do Brooklyn, Queens, Bronx e Staten Island. A construção de muitas das suas famosas pontes e do metrô em 1904 contribuíram muito para isso.

Nova York no século XX

No século XX Nova York não parou de crescer. A Estátua da Liberdade foi testemunha da chegada de milhões de imigrantes (em 1948 já superava Londres como a cidade mais povoada do mundo). Nova York se transformou no centro da imigração europeia, asiática e da América Latina.

Depois da Segunda Guerra Mundial, Nova York se converteu na cidade mais importante do mundo, com um grande peso econômico (Wall Street), político (sede da ONU) e cultural (substitui Paris como meca da arte e da cultura). Além disso, se tornou um grande destino turístico internacional.

Sua história ficou marcada pelo luto depois dos atentados de 11 de setembro de 2001, a partir dos quais foram estabelecidos novos padrões de segurança tanto em Nova York como no resto do mundo.